Mais criatividade e menos CO2

Muitos estudos sobre a necessidade de redução da emissão de dióxido de carbono e propostas de soluções para o problema são apresentados diariamente. Você já se imaginou, por exemplo, bebendo água saída do escapamento de um carro? É o que propõe um modelo de veículo que pode ser movido a hidrogênio e emite apenas água ao invés de poluentes. A fabricante do veículo chegou a promover uma ação em que oferecia a bebida para as pessoas em um cinema. Leia mais aqui. 

CO2 reducionEsse carro pode ser movido a água devido à célula de combustível - uma célula eletroquímica em que são consumidos um agente redutor (combustível) e um agente oxidante (comburente), com o objetivo de gerar energia elétrica. Neste modelo de carro, eles utilizam como reagente o hidrogênio e o oxigênio.

Os investimentos da indústria somam quantias bilionárias na busca por produtos que possam oferecer menor prejuízo ao meio ambiente e melhor qualidade de vida para as pessoas. Mas um estudante nigeriano nos mostra que aliando criatividade, consciência e trabalho duro é possível apresentar soluções que futuramente poderão tomar as ruas das cidades de todo o mundo. Segu Oyeyiola transformou um antigo fusca em um carro movido a energia solar e eólica. Com um investimento de seis mil dólares, o estudante de engenharia instalou placas fotovoltaicas no teto do veículo e uma pequena turbina eólica sob o seu capô.  Veja o resultado aqui.

Outro exemplo muito original é a Latro (luminária capaz de gerar energia a partir da respiração humana). É uma técnica pioneira em que é possível gerar correntes elétricas por meio do processo da fotossíntese, utilizando a nanotecnologia para torná-la possível. Essa luminária possui uma entrada para receber dióxido de carbono que eliminamos na respiração. O restante é feito pelas algas. Uma bateria armazena a energia acumulada e há um sensor interno capaz de controlar a intensidade da luz. Assista o vídeo no Vimeo.

De acordo com dados do Climate Leadership Group (2011), as cidades consomem mais de dois terços da energia do mundo e respondem por mais de 70% das emissões globais de CO2. Por isso, inovações capazes de reduzir as emissões de gases poluentes são sempre bem-vindas. Pequenas atitudes podem fazer grande diferença. Por isso, se possível, pratique-as!

Fonte: Correio Braziliense, Climate Leadership Group, Hypeness e inhabitat

Artigo escrito por Priscila Cunha

 

A promising crop of designers is introduced
snooki weight loss World Famous Sports Shoes Brand Ranking

analyzing ball spin
christina aguilera weight lossThe History of Wedding Clothes
compartilhe

A ciclovia acaba no rio? Pedale na água!

 

Ciclismo aquático

São Francisco é famosa por ser uma excelente cidade para quem anda de bike. Porém, Judah Schiller, um apaixonado por ciclismo e louis vuitton bags sale uk esportes radicais, percebeu que as pontes que cruzam uma parte da baía da cidade não possuem faixas exclusivas para ciclistas, o que os força a chegar do outro lado apenas por carro ou pela água.

Pensando nisso, Judah criou o projeto BayCycle, uma iniciativa que busca promover o “ ciclismo aquático ”, uma solução para os ciclistas louis vuitton outlet uk da cidade atravessarem a baía pela água, montados em suas próprias bicicletas.

Para http://www.morhealth.co.uk/  mostrar a viabilidade do projeto, Judah desenvolveu um kit com infláveis para sua própria bicicleta, transformando-a em um “bote” movido pelos próprios pedais. A ideia é que, com o crescimento do projeto, seja possível desenvolver um kit que seja compatível com qualquer tipo de bicicleta.

Para Judah, a ideia tem tudo para dar certo. Além de ser barata e valorizar o lado saudável das bikes – já que pedalar na água é muito mais desafiador do que em terra abercrombie and fitch outlet uk firme -, o projeto BayCycle poderia ser replicado em muitas cidades que também são cortadas por cursos d’água, como Nova York. Segundo ele, a travessia pelo rio Hudson por meio do ciclismo aquático duraria 15 minutos se fosse feita pela água, um tempo muito menor do que as horas enfrentadas pelos motoristas nos túneis e pontes.

Você acha que esta ideia daria certo no Brasil? abercrombie and fitch outlet Em quais cidades? Deixe sua opinião nos comentários.

Artigo escrito por Ricardo Millani

Fonte:abercrombie and fitch uk Baycycle Project

louis vuitton fr

louis vuitton pas cher

 

 

doris duke’s manner
quick weight loss 8 IPOs Planned for the Week of Jan 24

Which is to say that the Greeks preferred their penises to look
quick weight lossAmazing Dining Experience At The Restaurants In Mexico
compartilhe

O fim das lâmpadas incandescentes

Lampadas encadecentes Siemens

Vamos direto ao assunto: desde 1º de julho de 2014, as lâmpadas mais utilizadas por nós brasileiros estão sumindo das prateleiras. Até janeiro de 2015, não haverá mais Cheap Hollister de 100 W à venda e as versões de 60, 40 e 25 W desaparecerão gradativamente até 2016, segundo a Associação Brasileira da Indústria da Iluminação (Abilumi).

Isso está acontecendo porque a Hollister sale  dos Ministérios de Minas e Energia (MME), da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), estabeleceu índices mínimos de eficiência luminosa, por tipo de lâmpada, que levam em conta o fluxo luminoso e a potência elétrica consumida.

O estabelecimento dessa portaria é importante Hollister UK  porque essas lâmpadas são pouco sustentáveis. Apenas 5% da energia consumida vira luz e os outros 95% perdem-se em calor. A fiscalização sobre essa eficiência é função do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que publica periodicamente o resultado de testes em  north face jackets .

De acordo com o professor do curso de Engenharia Elétrica da Fundação Educacional Inaciana (FEI), Reinaldo Lopes, em entrevista sobre o tema, as lâmpadas mais indicadas são as fluorescentes. Ele explica que a versão compacta de 23 W equivale em energia luminosa a uma lâmpada de 100 W, gerando uma economia de 42,5 %.

Veja abaixo as características que ele ressaltou sobre cada modelo:

Incandescentes - A desvantagem é o grande desperdício de energia, além de possuir vida útil muito curta (1.000 h).
Halógenas - São uma incandescente melhorada, com a vantagem de ter uma vida útil dobrada se comparada com a normal, além de existir lâmpadas de grande potência e tamanho pequeno.
LED - A tecnologia LED é bastante recente e a cada dia se apresentam novidades. Possuem baixíssimo consumo (3 W north face outlet em média), porém com custo inicial ainda muito alto, inviabilizando o seu uso em instalações residenciais mais simples.
Fluorescentes - Funcionam com base no princípio da radiação ultravioleta que provocam fluorescência na pintura interna do tubo de vidro, emitindo luz. Conforme a pintura interna dessas lâmpadas a cor da luz pode variar (desde o branco intenso até a luz negra).

O que você achou da medida? Pense que será positivo para o meio ambiente, que ganhará com a menor produção de calor e de gás carbônico, e para o bolso de nós consumidores que teremos uma redução na conta de luz. 

Artigo escrito por Priscila Cunha

Fontes: north face jacket

Hollister France

here

on all size women
rob kardashian weight loss Crisis Slams Proud Gas Names

what percentage exercising can be become a clothier
snooki weight lossTannehill Memorial Day reenactment photos
compartilhe

Uma nova alternativa contra a malária

cura da maláriaA malária, doença transmitida pela picada do mosquito Anopheles, continua  Dr Dre Beats Pro  sendo uma das doenças infecciosas que mais matam no mundo. De acordo com a ONG Médicos Sem Fronteiras, só em 2012 foram registrados 219 milhões de infectados e 660 mil mortes. Apesar da redução de 25% no número de mortes desde o ano 2000, erradicar a  Dr Dre Beats Studio  doença continua sendo um dos maiores desafios para a ciência.

Atualmente, o método mais utilizado para controlar a malária é o uso de inseticidas. Porém, eles acabam matando mais animais do que o mosquito transmissor, o que pode provocar certo desequilíbrio no meio ambiente. Para evitar que isso aconteça, uma dupla Dr Dre Beats Solo HD 2.0 de pesquisadores do Imperial College de Londres está testando o uso da engenharia genética para eliminar apenas as fêmeas do mosquito, impedindo assim a transmissão do parasita (apenas as fêmeas picam) e a reprodução da espécie em longo prazo. Tudo sem usar inseticidas.

Assim como os humanos, mosquitos com dois cromossomos X são femininos e os que têm um X e um Y são masculinos. A reprodução acontece quando um óvulo, que carrega apenas cromossomos X, encontra um espermatozoide, que pode carregar um dos dois cromossomos e, por isso, é quem define o sexo do novo mosquito.

Em laboratório, os pesquisadores inseriram no genoma de mosquitos machos uma proteína natural que destrói os cromossomos X e cheap beats by dre uk fizeram com que ficasse ativa apenas durante a criação dos espermatozoides. Assim, os mosquitos passaram a criar apenas espermatozoides com o cromossomo Y, que, ao se juntarem com os óvulos, formam apenas indivíduos machos. Como os novos mosquitos carregarão a proteína adiante, a tendência é que muito mais machos sejam criados e a espécie seja reduzida progressivamente.

Se o método der certo, introduzir machos cheap beats by dre sale  modificados na natureza poderá ajudar a controlar a malária sem maiores danos às outras espécies, pelo menos até que a seleção natural consiga achar um jeito de eliminar a proteína do DNA e o número de mosquitos volte ao normal.

Você conhece outros problemas ou doenças que foram resolvidas com a engenharia genética? Conte para nós nos comentários.

Artigo escrito por Ricardo Millani

 

Fonte: Beats By Dre Studio

Hollister France

here

Doesn’t that bring up a vision of pure happiness
quick weight loss Karl Lagerfeld Tells Pippa Middleton Rear View Only

auto show and runway modeling
christina aguilera weight lossTrigelle PUFF SLEEVE MODAL POLO
compartilhe

Siemens nas redes sociais